Ortodontia preventiva em crianças: entenda como ela funciona

ortodontia preventiva em crianças
7 minutos para ler

Os problemas ortodônticos começam a se manifestar na infância. Afinal, é nessa fase que as arcadas dentárias e a estrutura facial estão em desenvolvimento, daí a necessidade de intervenções como aquelas realizadas pela ortodontia preventiva e interceptativa em crianças.

Esses procedimentos são fundamentais para garantir que os pequenos tenham espaço na boca para os dentes permanentes nascerem. Mas eles também trazem outros benefícios que impactam a qualidade de vida da criança e influenciam na vida adulta.

Neste post, falaremos um pouco sobre a ortodontia preventiva e a importância que ela tem. Continue lendo para saber quando esse tratamento deve começar, como ele é feito, os benefícios que oferece e os cuidados necessários.

O que é ortodontia preventiva?

A ortodontia preventiva é a aquela que se antecipa ao desenvolvimento das maloclusões. Com ela, conseguimos diagnosticar com antecedência os problemas ortodônticos que a criança possa ter no futuro, ainda na fase em que os pequenos estão com os dentes de leite (decíduos).

Um dos principais objetivos da ortodontia preventiva é a preservação dos espaços naturais que existem pela presença dos dentes de leite. O intuito é guiar os dentes permanentes para que nasçam e ocupem esse espaço depois que os decíduos caírem naturalmente, sem comprometer ou entortar a dentição.

Por isso, recomenda-se que os pais iniciem o acompanhamento odontológico dos filhos o quanto antes. É muito importante contar com um dentista especialista em Ortodontia desde cedo para identificar se a criança tem tendência para problemas ortodônticos no futuro.

Quando o tratamento de ortodontia preventiva deve começar?

Como você viu, a ortodontia preventiva visa acompanhar a troca dos dentes das crianças, assim o permanente nasce exatamente no lugar do dente de leite que o antecedeu. Então, a faixa etária ideal para fazer esse tratamento é justamente aquela quando os dentes os decíduos começam a cair.

Isso acontece em média dos 6 aos 12 anos, podendo iniciar um pouco mais cedo — aos 5 anos — para algumas crianças. É importante saber que esse momento coincide com o pico de desenvolvimento dos ossos da face.

Então, a ortodontia preventiva também incentiva que a maxila e a mandíbula cresçam sem problemas. Desse modo, evitamos tratamentos ortodônticos mais complexos, longos e delicados no futuro, que exigiriam, por exemplo, a extração de dentes.

Então, quando a criança estiver com 5 ou 6 anos é preciso procurar um ortodontista e iniciar as consultas. Ele fará o acompanhamento da troca de dentes observando se tudo está acontecendo no tempo certo e sem complicações, além de fazer as intervenções para guiar os permanentes do modo adequado.

Como é feita a ortodontia preventiva em crianças?

A maioria dos tratamentos de ortodontia preventiva em crianças consiste basicamente no uso de pequenos aparelhos durante a fase de crescimento. Eles podem ser fixos ou removíveis e permitem que o desenvolvimento das arcadas aconteça equilibradamente e os espaços sejam mantidos.

As intervenções variam de acordo com a necessidade de cada criança. Os aparelhos podem fazer a expansão do maxilar quando existe a tendência de a arcada superior ser muito estreita, não comportando todos os dentes. Em outros casos, é necessário estimular ou restringir o crescimento da mandíbula ou da maxila para que elas se encaixem perfeitamente à arcada oposta..

Powered by Rock Convert

É preciso que os pais saibam que a ortodontia preventiva em crianças minimiza os problemas que ela possa ter no futuro, mas isso não significa que todas as correções sejam feitas nessa fase. Os permanentes nascerão no lugar certo, porém, pode ser que ainda apresentem pequenos desalinhamentos ou giros.

De toda forma, essas imperfeições são muito discretas e a correção da posição dos dentes será feita muito mais rápido e sem prejuízos para a saúde bucal. Afinal, haverá espaço para todos os dentes, não será preciso fazer extrações e a mordida encaixará perfeitamente.

Por isso, é válido realizar o tratamento agora para evitar procedimentos longos ou traumatizantes no futuro. A ortodontia preventiva não gera grandes complicações ou desconfortos expressivos para os pequenos, como aconteceria com os procedimentos mais complexos.

Quais são os benefícios da ortodontia preventiva?

O principal benefício da ortodontia preventiva em crianças é possibilitar o desenvolvimento correto das arcadas dentárias mantendo o espaço para o nascimento dos dentes permanentes. Mas esse tipo de procedimento traz ainda outras vantagens para os pequenos.

Por meio dela, também são corrigidos de maneira simples problemas ortodônticos como perdas precoces dos dentes de leite, aqueles causados pelo hábito de sucção de dedo ou chupeta e problemas de dicção, como interposição lingual.

Devemos citar como outro benefício não precisar fazer um tratamento ortodôntico no futuro ou, se necessário, o procedimento será muito mais confortável e curto. Isso além de minimizar desconfortos contribui para uma melhor autoestima na adolescência.

Como as arcadas dentárias se desenvolvem adequadamente e os permanentes nascem no lugar correto, a mastigação da criança é favorecida. Essa condição evita a sobrecarga da dentição e das estruturas faciais, incluindo a articulação temporomandibular (ATM).

Quais são os cuidados necessários com a criança?

Ao fazer um tratamento de ortodontia preventiva em crianças é fundamental que os pais estejam conscientes de que eles precisam orientar seus filhos nessa fase. Afinal, serão necessários alguns cuidados com a saúde bucal e o aparelho para que não haja nenhuma complicação ou imprevisto.

Veja a seguir algumas ações indispensáveis para garantir o sucesso do tratamento e o conforto da criança:

  • realize a higiene bucal após cada refeição;
  • ajude-a a passar o fio dental pelo menos uma vez por dia;
  • higienize o aparelho conforme indicado pelo especialista;
  • se o dispositivo for móvel, retire-o da boca na hora de se alimentar;
  • mantenha o aparelho na boca pelo maior tempo possível, ou segundo recomendado pelo profissional;
  • sempre guarde o aparelho no estojo original;
  • compareça às consultas de retorno sem falta.

A ortodontia preventiva em crianças é um tratamento muito importante para garantir o bom desenvolvimento delas. Sua saúde bucal será totalmente preservada e problemas no futuro serão evitados, garantindo que ela tenha mais qualidade de vida também durante a fase adulta.

Saiba mais sobre ortodontia preventiva e encontre bons profissionais para cuidar do seu filho. Entre em contato conosco para conversar com os nossos especialistas!

Um dos principais objetivos da ortodontia preventiva é a preservação dos espaços naturais que existem pela presença dos dentes de leite para que os dentes permanentes possam nascer e ocupar este espaço sem comprometer ou entortar outros dentes. Por isso, a maioria dos tratamentos de ortodontia preventiva consiste justamente no uso de pequenos aparelhos fixo ou removíveis durante a fase de crescimento das crianças, para ajudar a manter esses espaços.

Assim, crianças com problemas ortodônticos como perdas precoces de dentes de decíduos (de leite), hábitos de sucção de dedo ou chupeta, e problemas de dicção como interposição lingual podem ser resolvidos de maneira mais simples, evitando um tratamento mais longo e delicado, como o uso de aparelho fixo ou a extração de dentes. O ideal é que os procedimentos de ortodontia preventiva sejam realizados dos 6 até os 12 anos, sem precisar de tratamentos mais complexos no futuro.

Você também pode gostar

Deixe um comentário